Até quando o idoso pode morar sozinho?

,
Até quando o idoso pode morar sozinho?

Atualizado em 11 de novembro de 2021.

Desde que esteja lúcido e capaz, morar sozinho é um direito do idoso garantido por estatuto. Na prática, nem sempre é algo simples assim.

Com o avanço da idade, limitações típicas do envelhecimento preocupam muito as famílias. Questionar se não seria o momento de uma companhia diária qualificada para o idoso, a fim de garantir segurança e conforto, é normal.

Juntamos algumas “pistas” que certamente podem ajudar a identificar sinais de fragilidade. Vale lembrar que os sinais, muitas vezes, vão aparecendo aos poucos. Portanto, ter um olhar atento e cuidadoso é importante.

Sinais que o idoso não pode morar mais sozinho

  • Quedas ou outros acidentes domésticos no último ano;
  • Dificuldades na execução das atividades básicas (higiene pessoal, vestuário ou alimentação);
  • Mudanças físicas perceptíveis de ganho ou perda de peso sem alteração da rotina;
  • Alimentação desbalanceada, não fresca e sem horários definidos;
  • Odores corporais desagradáveis;
  • Negligência com a aparência (como roupas sujas ou cabelos despenteados);
  • Piora na condição clínica de alguma doença crônica;
  • Exclusão social e isolamento pessoal;
  • Descontrole financeiro com atraso de contas a pagar;
  • Objetos perdidos ou guardados em locais não compatíveis.

Admitir a fragilidade de um familiar não é algo fácil, todavia necessária. Quando morar sozinho passa a não ser mais uma opção para a família ou para o idoso, algumas alternativas ficam disponíveis.

5 opções para o idoso não morar sozinho

Vale alertar que não existe caminho único. Seja como for, o importante é entender o protagonismo do idoso lúcido. Suas vontades e opiniões, devem ser sempre consideradas.

  1. Algum parente ir morar com o idoso

    Solução direta e barata que costuma ter boa aceitação, mas requer grande doação pessoal de um ou mais membros da família.

  2. O idoso ir morar com algum parente

    Mostra a atenção e o carinho envolvido, mas exige bastante empenho da família na adaptação da rotina da casa. Tanto na opção anterior como nessa, o estresse do cuidador é um problema real que pode impactar a relação familiar.

  3. Ir para uma casa de repouso

    Resolução prática para a família, mas que envolve uma carga emocional forte para o idoso. A retirada do idoso do lar e a total adaptação a uma nova realidade, deve ser um ponto de atenção.

  4. Contratar cuidadores diretamente

    Solução profissional adequada, mas que necessita muito cuidado na escolha. No entanto, problemas como cobertura no caso de faltas, vínculo empregatício e a falta de supervisão técnica devem ser levados em consideração.

  5. Contratar uma empresa de cuidadores

    Reúne a segurança e o conforto do cuidado profissional. Deixando as responsabilidades nas mãos de profissionais supervisionados por uma empresa séria e preocupada com o bem estar integral do idoso.

Para qualquer pessoa, aceitar auxílio nas tarefas diárias muitas vezes significa assinar um atestado de dependência. Portanto, convencer uma pessoa que amamos muito que o melhor para ela é justamente o contrário do que ela deseja, é uma situação muito delicada.

Dessa maneira, a contratação de empresa especializada, pode ser a forma mais leve de passar por esta fase. Assim sendo, envelhecer em casa, faz todo o sentido e a primeira opção de todos os idosos.

Leia também:

 

Doencas Respiratórias na Terceira Idade
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer compartilhar sua opinião?
Envie aqui seu comentário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *